sexta-feira, 10 de abril de 2009

MULHERES INTELIGENTES

Gosto das coisas sensacionais que a vida proporciona. Gosto de perceber como ela freia os ímpetos de nossos absurdos, os guia, e os estaciona. Percebo que a vida se tranca dentro de um quarto, e abre as portas quando julga necessário, permitindo que esse admirador de virtudes observe cada instante, e viva o momento único guardado como relicário. Gosto das pessoas simples, que homenageiam suas formas, com uma cabeça sensacional. Permitem dar um pouco de si em cada situação inusitada. Ajudam a potência inerente, a se transformar numa idéia venerada, mesmo que para isso tenham que matar a conceituação aristotélica.
As cadeiras veneram bundas, os sutiãs veneram apenas seios, um dissecador de cadáveres adora corpos. Restou para mim, a veneração do mais puro e valioso conjunto: O cérebro. Mulheres neurônios sempre me chamaram a atenção. A inteligência sempre foi o encanto que encanta todo o resto. Sempre foi a mágica, por vezes desajeitada, proferida pelo jovem Presto. Encantador eu diria. No conjunto perfeito da obra completa, um cérebro é a mais sublime reminiscência. É quando a razão pode se fundir, pode conversar, pode dialogar. Seria esse o charme essencial. Seria esse o tempero, que assim como seus similares, possui intrínseco o dom de ser o próprio sabor necessário. Saborear a carne pela carne apenas, é uma atitude que encanta canibais, ou de almas embrutecidas, que ainda não provaram da paixão de uma mulher inteligente. Saber conversar e ter opinião supera qualquer rebolado, mesmo que este seja bem dotado de sedução. Mulheres vazias, são como notas de uma partitura, que não está acompanhada por orquestra nenhuma. Podem até fazer a imaginação voar, mas cansamos logo de ficar olhando para uma folha inexpressiva. As mulheres com cérebro, escrevem sua história todos os dias, transformam suas memórias numa jóia de galeria, e seduzem pelo simples fato de ser quem são. Não há esforço, não há preocupação, apenas o prazer de deixar a vida fluir pelos neurônios, que dentro da complexidade do sistema nervoso, exercem um encanto saboroso, capaz de substituir qualquer parte do corpo. Mulheres inteligentes são as manifestações mais puras do desejo. Mulheres inteligentes incendeiam, esquentam, enlouquecem. São fogo em brasa, que não se apaga, mesmo quanto vitimado pela tempestade.
Os atributos físicos estão submetidos às leis naturais. Perdem-se com o tempo, e o próprio tempo arranja outros iguais. Os atributos da razão, das idéias, estão no mundo imutável, perfeito e único, onde as coisas são, acontecem e permanecem para sempre. Esperar pelos anos em caixas de jóias, é como pedir aos leões que protejam o cordeiro em desamparo. É apertar o gatilho de uma arma carregada, com a fama de nunca engasgar um disparo. Depositar as expectativas na sensação de uma boa conversa, é um investimento áureo e maduro, possível para quem quer sentir prazer com o cérebro. Sentar na relva de uma noite densa apenas para olhar as estrelas. Ler poemas que corações já deixaram escritos. Escutar as músicas concebidas por compositores aflitos. Sentir a segurança que uma boa conversa proporciona. Opinar sobre o mundo que passa voraz e contundente. São coisas simples, são razões encantadoras. Corpos apodrecem, cérebros rejuvenescem. Corpos promovem conjunções carnais, cérebros encontram o ápice do prazer. Corpos experimentam sensações, cérebros são a forma exata da verdadeira libido. Os móveis de uma casa adquirem a importância pela relevância da situação. Uma casa vazia pode garantir uma ou duas noites de sono, mas a falta da mobília logo deixará a casa sem seu dono.
Malhem as cabeças, malhem suas opiniões. Permitam ao escultor trabalhar na alma verdadeira e sensual. Corpos, sempre acharemos. A cada novo corpo contemplado, um passo é dado em direção ao esquecimento do anterior. Mas a cada choque sentido por um papo bem bolado é que percebemos como alma é surpreendida pela força magnífica do sabor.


10 comentários:

Bruna disse...

Sempre gostei de seus textos, mas esse, particularmente, foi o melhor.
Nós, mulheres, sempre gostamos de ser elogiadas. Com isso, acabamos nos acostumando com elogios superficiais, e nos deixamos aprisionar por uma beleza imposta, uma imagem, um estereótipo.
Parece que o que realmente vale hoje é a embalagem perfeita independentemente se há conteúdo ou não.
Eu gostaria que todas as mulheres pudessem ler esse texto.
Esse sim foi um verdadeiro elogio!

Otávio Campos disse...

Falou tudo. Que foda-se a casca, eu quero a poupa!

CADU disse...

Fala che... gostei bastante desse ultimo texto!!! lembra de mim neh?! era de Guarapuava (lobo) e mudei pra cascavel (alfa teen) nos vimos tem +- um mês... antes de eu vir pra Goiás! abraço Che... aahh, fiz um blog esses dias. vou adicionar o seu la (1º) hdfushdufhsud pode neh!?!?!??!
Dta

Sabine disse...

Sempre bom saber que mais pessoas exergam além de nossos corpos, e percebem que temos ideias e não apenas bundas e seios.
Realmente muito bom esse texto Che!

;*

Gabriel Dayan, disse...

Filósofo né. Muito bom o texto. Concordo com você.

Tá certo que difere um pouco dos seus comentários em sala, mas a gente faz vista grossa, não é mesmo?
hahaha

E quem sabe? disse...

Nossa,realmente,surpreendentemente belo.
Adorei!
Obrigada pelo comentário lá e...
uma ótima semana!

Gabi disse...

É, porque, ao contrário do que o professor Hanry de My Fair Lady diz, mulheres pensam e fazem muito mais do que arrumar o cabelo!
Belo texto, adorei!

E sobre o seu último comentário, Deus, tem isso tudo no meu humilde textinho? Uau.

Oleni disse...

Restou para mim, a veneração do mais puro e valioso conjunto: O cérebro.Pode ter certeza que vc fez a opção certa, o homem que acha que mulher é só peito e bunda é porque não encontrou seu próprio cérebro. Mais uma vez: PARABÉNSSSSSSSSSSSSSSSSSSS!

suelen disse...

Uma forma muito bem elaborada de definir corpos femininos!

Lucila Nara disse...

Parabens pelo seus exelentes textos, encantada...

Obrigado pelo reconhecimento que muitas vezes não recebemos

Guarapuava (Lobo)