terça-feira, 30 de novembro de 2010

SEM SEGREDOS


Já contei minha história sob trovões silenciosos que retumbavam dentro da minha cabeça. Quando experimentei a seca das terras áridas pela minha falta de imaginação, fiz-me humilde e busquei nos mais simples sentimentos encontrar as evidências que tanto precisava.
Seu beijo salgado pelos ares do mar despertou o mundo sobre nossa existência. Passamos a existir como carne.
Quando os ventos do coração assopram seguimos fantasmas do amor, os nossos fantasmas do amor se tornam reais quando perdemos o medo de amar.
Eu deveria fazer tanta coisa! Eu deveria ser tanta coisa! Eu quis fazer tudo diferente! Sucumbi diante do que pareceu-me mais louco.
Para que metais, se é de madeira a ponte que construí na minha imaginação? Para que perfeição, se minhas atitudes são imperfeitas?
Vi o mundo mudar, vi as coisas mudarem. Vi meu destino tombado, e erguido um novo horizonte sob os meus pés. Era hora de deixar o mundo correr!
Venha comigo e esqueça as flores e as pinturas de tempo sobre o seu rosto. Esqueça tudo que já tenha ouvido falar sobre a vida, e saiba que em um coração fechado os anos esperaram e construíram um longo caminho.
A noite foi de angústia, com segredos dilacerados como ossos fraturados, ambos aguardando um alívio para sua dor. A noite não aguardo o poente, mas se levantou a tarde enquanto as mensagens avisavam o mundo sobre sua nova atitude.
Com a escuridão o navio peregrino lançou âncora num porto belo e pode ouvir a música que soava desconhecida, mas que traduzia a história dos encontros imaginados.
E o dia veio vestido com poesia. Falamos de sonhos que não lembrávamos, pedimos as bençãos sobre aquilo que buscávamos.
Sem lágrimas, olhos limpos e molhados! É hora de ir..
E logo você vai sentir o cheiro da manhã e o mar canta desaguando perto de você.
Caminhamos muito para encontrar descanso. Abrigo dos braços fortes, calma de um remanso,
E se você quiser alguém vestido com poesia para cobri-la com amor sem pedir nada, saiba que estou aqui.

Um comentário:

Tainara disse...

"A noite foi de angústia, com segredos dilacerados como ossos fraturados, ambos aguardando um alívio para sua dor."

Contrariando a própria mente e as ideias ou a mente da sociedade? >>
"Eu deveria fazer tanta coisa! Eu deveria ser tanta coisa! Eu quis fazer tudo diferente! Sucumbi diante do que pareceu-me mais louco."

Mas pra finalizar quero um beijo seu: "Seu beijo salgado pelos ares do mar despertou o mundo sobre nossa existência."