sábado, 24 de julho de 2010

VEM CÁ


Abraça-la foi mais forte que a intesidade da sensação, contabilizada pela mesma sensação que entorpece todo o espaço dos meus sentidos. Foi como encontrar um refúgio seguro, foi como voar nas asas da imaginação. Vê-la deitada nos lençóis da magia, foi tão bom quanto entender os segredos das ondas e partículas que você me ensinou. A física perdeu a lógica própria do entendimento quando os sonhos falaram mais alto do que a razão. Ah, essa razão desenfreada, desgovernada, batia no peito em cada tentativa frustrada de fugir desse mundo. Agora essa mesma razão se submete ao desentendimento do que se passa comigo. Li o sabor dos seus beijos nos textos escondidos da sua boca. Descobri o sabor do seu corpo no paladar disperso da própria roupa. Quis envolvê-la, quis despertá-la. Na madrugada escondida atrás das cortinas, quis conversar, apenas para que os meus olhos pudessem ver seu corpo alegre, suas mãos pequenas, sua alma cheia de charme. Seu olhar me disse o que sua boca esconde. Entendo pelo seu toque a mensagem tornada oculta. Respiro fundo, respiro alto. Trago um corpo apenas, levo dois corpos de assalto. Olhar para você é receber como presente a imagem daquilo que me faz bem. Uma realidade que se escreve na imaginação. Uma noite que passa, uma manhã que termina, uma tarde que se despede, uma noite que alucina. Você é a loucura mais racional que já experimentei em toda a minha vida.

5 comentários:

may disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
may disse...

Ual, perfeito o texto!

Cia Teatro dos Orelhas disse...

Adorei o blog!
Já estou seguindo para voltar sempre...
Abraços

confissoes disse...

adoro os seus textos, de uma lida nos meus

Tainara disse...

"Vê-la deitada nos lençóis da magia, foi tão bom quanto entender os segredos das ondas e partículas que você me ensinou."
"Você é a loucura mais racional que já experimentei em toda minha vida"

UAL!